FUTURO PASSADO KOSELLECK PDF

Reinhart Koselleck – Futuro Uploaded by Ribeiro Filho. Copyright: © All Rights Reserved. Download as PDF or read online from Scribd. Flag for. Abre-se o caminho para a criação da filosofia da história, que pretende apreender o passado, o presente e o futuro como uma totalidade dotada de sentido. Buy Futuro Passado (Em Portuguese do Brasil) by Reinhart Koselleck (ISBN: ) from Amazon’s Book Store. Everyday low prices and free.

Author: Najar Malkis
Country: El Salvador
Language: English (Spanish)
Genre: Technology
Published (Last): 22 September 2007
Pages: 305
PDF File Size: 5.69 Mb
ePub File Size: 1.76 Mb
ISBN: 781-3-98137-944-9
Downloads: 86872
Price: Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader: Kizragore

Em duzentos anos, aprendemos mais sobre o passado da huma-nidade do que ela antes jamais pudera saber sobre si mesma. This idea of future in our analysis is centered on Herman Kahn, a physic, military strategist and futurist.

As mudanas estruturais de longo prazo, com intervalos de tempo cada vez mais curtos, resultam em predies que tm por objeto no mais eventos concretos singulares, mas sim as condies de um determinado futuro possvel.

KOSELLECK Reinhart Futuro Passado

O prprio passado passa a ser problematizado como tal, de forma que s hoje somos capazes de perceber sua peculiaridade, “sob uma configurao completamente diferente”. O inevitvel perspectivismo no conduz a uma Essa expresso podia ser compreendida como portadora de vocao expansionista, estimulando Alexandre a submeter os persas, mas tambm passafo ser usada internamente.

Essa temporalizao das perspectivas foi certamente favorecida pelas rpidas loselleck da experincia provocadas pela Revoluo Francesa. Defrontar-se- com a crtica ao subjetivismo, ao relativismo ou at mesmo ao historicismo, a ele associados.

Quando a história também é futuro: as concepções de tempo passado, de futuro e do

A escala sempre fluida, o que se pode perceber nas convergncias e divergncias de opinio entre Gervinus e Ranke. Os ndices de verossimilhana permaneceram associados ao testemunho ocular, e, se possvel, ao de agentes e participantes, seja no que diz respeito histria da Revelao, seja nas histrias dos eventos eclesiais ou mundanos.

  BIOACCESS V2 PLUS PDF

O famoso nariz de Cleopatra que, segundo Pascal, tinhamudado a face do mundo 11 ilustra a passagem de uma poca outra: Sarah Gram rated it it was amazing Jul 28, O compromisso com uma posio fururo pressuposto do conhecimento histrico Parece ironia da linguagem o fato de que, no mbito da viso e dos testemunhos oculares, da metfora do espelho e da verdade indisfarvel, justamente o passad tenha assumido um papel fundamental para o conhecimento, sem que esse repertrio das metforas e da experincia, a elas associadas, tenha sofrido desgaste.

Se, com isso, pasasdo conhecimento histrico se torna satisfatrio, mais do que quando Fortuna estava em jogo, uma questo que deve ser retomada. O acaso pontual revela-se ento como um feixe de causas, tornando-se um nome sem realidade. A teoria da mudana de perspectiva temporal foi assim diluda em uma teologia futur, que atribui passdao mudana. Por isso, para no ser associado ao reino das narrativas fabulosas, ele se apressa a relativizar o seu acaso.

Plutarco chegou a rejeitar os costumes e a lngua, considerando-os como critrios de diferenciao acidentais, e no obstante definiu a virtude como helnica e a maldade como brbara. Tais rupturas de continuidade pareciam querer livrar-se de um passado cuja crescente estranheza s poderia ser esclarecida e recuperada pela pesquisa histrica. A obrigao de tomar partido e sua elaborao historiogrfica Futur mbito da historiografia alem, o conceito de “partido”, at o sculo XVIII, encontrava-se associado a divises de cunho confessional e s respectivas frentes de luta.

Todas as funes encontram-se integradas nesse mtodo.

Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos

O modo de interpretao da histria permanecia o mesmo. This document is only for private use for research and teaching activities.

passao Na maneira como os gregos faziam comparaes ele enxergou um critrio permanente contra a barbrie. Mas a investigao do passado no foi a nica resposta encontrada frente acelerao da histria.

  AUS DEM TAGEBUCH EINES TRINKERS PDF

No possvel investigar aqui as analogias. O pressuposto terico dessa superioridade era a alteridade advinda da viso em perspectiva e, portanto, factual do passado, comparada experincia prpria do presente e expectativa do amanh.

Essa histria no deveTampouco o passado deixava-se conhecer, “pois a histria anterior deve ser explicada em relao ao seu estado presente”, o que se teria tornado impossvel no atual “processo de transformao”.

Para Archenholtz, portanto, o passaco no era s um recurso estilstico para aumentar o contedo dramtico de sua representao o que, entretanto, tambm aconteceumas tambm uma forma de reproduzir determinada perspectiva: Entretanto, isso no bvio, e nem sempre foi assim. O princpio passadoo uma possvel repetio dos eventos foi abandonado.

Exatamente a estar contido o que especificamente histrico. Just a moment while we sign you in to your Goodreads account.

Contraponto Editora

Todos os instrumentos de legitimao que se pretendiam efetivos tiveram de se submeter a essa escala temporal. Permaneceu intacta a precedncia dada ao registro da histria contempornea, acrescida da contribuio dada, nos incios da poca moderna, pela literatura memorialstica. Tanto a histria vivida quanto aquela kosellfck elaborada so constitudas por perspectivas portadoras e formadoras de sentido, social e pessoalmente condicionadas.

Tambm o passado longnquo, estranho e dessemelhante se torna apreensvel, traduzvel e reconhecvel pela integrao e empatia entre os intelectos. As diferentes maneiras de ver adquiriram uma capacidade temporal de alterao, que correspondia ento a uma crescente capacidade de acelerao da histria.